De volta para o futuro

De volta para o futuro

De volta para o futuro

De volta para o futuro. O Homem de aparência abatida e cansada continuava caminhando ofegante em busca de algo perdido pelo caminho, andando insistentemente em círculos…. girando em torno de si mesmo e de suas mais enfadonhas preocupações…. tentava encontrar uma saída para suas lamentações presentes, tentando se desprender de sua própria sombra….

O tempo fora impiedoso mais uma vez, imputando-lhe marcas profundas em sua mente confusa e incrédula …. E subitamente aquela figura aparentemente esgotada e resignada perante sua inoperante condição, tropeça em sua própria memória. 

Sem se dar conta de que havia atravessado uma fenda na contra-mão de seu próprio curso, eis que ele se reencontra consigo mesmo, vinte anos mais jovem….

– Ola, meu Velho!!

– Quem é você, meu filho???

– Como é que você não reconhece a si mesmo! Eu sou você , no passado…

– Não me lembro de ti, garotão…. minha memória anda muito falha…. acho que ando meio estressado….

– Para com isso, vovô…. Quanto mais você se lamenta, mais rápido você envelhece…. Acorda para a vida, que continua esperando que você se atire nela, como um jovem destemido que dá um grande salto de um trampolim bem alto para o fundo de uma piscina, de cabeça..

– Que isso, meu Jovem…. não preciso mais disso não…. acho que já me atirei muito no passado… e agora com certeza daria uma bela barrigada!!!

– O, Véio! Para com esse papo-furado!! Você consegue! E sabe que precisa ir novamente para o fundo, onde você vai resgatar toda tua energia e vitalidade…

-Sei lá… a vista já não tá tão boa…. e se eu não enxergar o que há pela frente??? E se perder o controle sobre meu destino e me esborrachar no chão duro da realidade e de minhas próprias limitações?

-Caracas, Home!! Você não se lembra de mim, ou melhor, de você mesmo em seu momento de maior confiança e êxtase pela vida? Quando você confiava em sua intuição acima de tudo, ousava sonhar alto e se entregar sorridente às suas paixões???

– Meu filho…. Depois de um tempo, trocamos a paixão inconsequente pela razão ponderada que nos devolve a ilusão de estarmos protegidos e seguros….

– E ai??? Qual é a graça, agora??? Tá feliz ai nesse quartinho silencioso e previsível? Esqueceu como se voa? Por que construir sua própria gaiola, e cortar suas lindas asas???

O Homem, ouvindo a si mesmo de repente caiu em prantos ao se redescobrir em seu próprio espelho amarelado do passado…

Percebeu que podia renascer…. resgatar todo o seu poder e se libertar de sua própria redoma de segurança, que agora apenas lhe aprisionava, fazendo se sentir mais vulnerável e incapaz de percorrer novos caminhos…

Então ele teve uma grande ideia, se abraçou fortemente ao jovem irreverente, abriu as janelas de seu coração e assim finalmente voltaram a voar…

*Por Ronald Guttmann

https://m.polishop.vc/novafamilia/

COMUNIDADE DE COLUNISTAS

Para saber mais sobre o colunista da matéria, clique aqui.

Compartilhe esse post

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no print
Compartilhar no email

Veja os últimos posts

Antifrágil

Antifrágil. Vivemos no mundo VUCA com quatro características: volatilidade, incerteza, complexidade e ambiguidade. Você já deve ter observado que tudo mudou e a essa altura

Continuar Lendo »