Ouvir Pausar

Livro "Histórias na Varanda" pretende despertar laços familiares

Livro "Histórias na Varanda" pretende despertar laços familiares

Em junho de 2019, a psicóloga Maria Angélica Amarante dos Anjos, moradora de São Bernardo do Campo/SP, viveu uma experiência fantástica: o lançamento do primeiro livro, intitulado “Fui adotada aos 56 anos – Uma história real de Adoção Tardia”. A obra foi lançada graças ao prêmio que a psicóloga recebeu do Edital ProAc, promovido pela Secretaria de Cultura de São Paulo.  

Neste ano de 2021, no dia 25 de maio, praticamente dois anos após o primeiro livro, Angélica está a todo vapor preparando o lançamento da segunda obra, cujo título é “Histórias na Varanda – Conversas sobre Adoção e Vida”. Desta vez, resultado da premiação que Angélica recebeu da Lei Aldir Blanc, do Governo Federal e Secretaria de Cultura e Juventude de São Bernardo do Campo.  

Percebeu que os dois livros têm no título a palavra ADOÇÃO? 

Pois é, este é um termo muito presente na vida de Angélica, já que, em 2014, aos 56 anos, ela e o esposo Wilson dos Anjos, se tornaram pais pelas vias da adoção do menino Jonas, que na época, estava com 8 anos e meio de idade. 

Desde então, juntos, os integrantes da família Anjos, têm passado por diversas experiências e transformações proporcionadas pela maternidade. Estas experiências despertaram em Angélica o desejo de auxiliar outras famílias e casais que estão no processo de adoção ou pretendem adotar, mas ainda possuem dúvidas sobre esta escolha.   

Com a missão de ajudar estas famílias e também as crianças e adolescentes que estão nos abrigos à procura de um lar, é que Angélica tem se dedicado a este belíssimo trabalho, feito com muito carinho. Tanto no primeiro quanto no segundo livro, os leitores podem entender melhor sobre este universo da adoção, que infelizmente, ainda tem pouca visibilidade e é cercado por preconceitos.

Sobre o livro

O “Histórias na Varanda” tem como objetivo levar o leitor a refletir sobre a importância da família e dos vínculos afetivos. “Uma leitura leve, carregada de emoções, com uma pitada de humor. Este livro é mais uma oportunidade para falar sobre o mundo da adoção e da chegada dos filhos, que é tão igual e tão diferente ao mesmo tempo”, conta a autora.  

Sobre o que a inspirou a escrever mais uma obra, a psicóloga revela que é justamente a necessidade de as pessoas entenderem o universo da adoção e o mundo de uma forma mais aberta, livre de preconceitos e pré-julgamentos. “Quem entra num processo de adoção encontra ao mesmo tempo o filho que chega e o filho que um dia fomos. Vejo o amor não somente como um sentimento, mas principalmente como uma ação. Você sai da sua zona de conforto e se propõe a fazer algo para alguém ou para uma coletividade”, destaca Angélica. 

Sobre a escolha do título, a autora revela que é devido a varanda ser o local preferido da casa. “Adoro plantas, luz, estrelas, conversas com amigos, um bom descanso. O ambiente de uma varanda remete a tudo isso”, acrescenta. 

Com relação a leitura, a autora indica que o público encontre um local tranquilo e confortável para ler e pare para pensar sobre diversos aspectos da vida, em especial a adoção de crianças e adolescentes e a vida em família. “É preciso lembrar de quem somos e construir quem seremos. Tornando-se mais humano, criando filhos melhores e fazendo algo de útil para a coletividade, teremos um dia a concretização de um mundo melhor como tantos um dia já sonharam”, finaliza a psicóloga.  

Lançamento

No dia do lançamento, que será feito virtualmente, por conta da pandemia, Angélica contará com a participação de diversos convidados. Dentre eles, amigos atuantes na área da Cultura do Município de São Bernardo, personalidades engajadas no mundo da adoção e pessoas que são queridas para ela, e que vivenciaram algumas das histórias que inspiraram os textos. Segundo Angélica, todos foram importantes para que o sonho de produzir o livro fosse concretizado.