Mitos e verdades sobre as vitaminas e imunidade

Mitos e verdades sobre as vitaminas e imunidade

Mitos e verdades sobre as vitaminas e imunidade

Em fase de pandemia motivada por um vírus, a imunidade e a função das vitaminas para o nosso organismo estão em pauta. Mas muitas informações acabam não sendo muito bem explicadas e, ao invés de ajudar as pessoas, acaba confundindo mais.

Por isso que a doutora em Nutrição Humana, Maria Fernanda Elias, desvenda os mitos e verdades relacionados às vitaminas e nossa imunidade.

1- É verdade que a falta da vitamina D pode piorar o quadro de saúde de quem está com gripe ou resfriado?

Verdade – Assim como várias outras vitaminas, a D é muito importante para fortalecer a imunidade do nosso organismo. Isso acontece porque os linfócitos (células que fazem parte do sistema imunológico) têm receptores que facilitam a atuação da vitamina D, fortalecendo diretamente nosso sistema de defesa.

Sendo assim, nosso organismo responde mais rápido ao processo de recuperação. Além de ter grande importância para nossa imunidade, a vitamina D também auxilia nosso organismo a absorver cálcio e fósforo – suportando a saúde e o bem-estar dos ossos.

2- Quem consome vitamina C não fica doente.

Mito – Ela ajuda a reduzir a duração e severidade do resfriado comum e acelera a resposta imune das células no nosso organismo, mas não exclui as chances de uma pessoa que ingere a quantidade diária indicada da vitamina C ter uma gripe ou resfriado.

A substância também tem papel muito importante no apoio para redução no risco, gravidade e duração das infecções do trato respiratório, além de ser um importante nutriente antioxidante muito utilizado em cremes e tratamentos para a pele.

3- Não existe limite para o consumo de vitaminas, quanto mais consumir, melhor.

Mito – As vitaminas são essenciais para manter o corpo saudável, mas nos níveis indicados pela Organização Mundial da Saúde. Em excesso elas podem até fazer mal.

Por exemplo as vitaminas lipossolúveis (aquelas que não são solúveis em água e não eliminadas pelo organismo) como a A, D, E e K, se forem ingeridas em excesso, ficam estocadas no tecido gorduroso, podem levar a quadros de intoxicação e até prejudicar que o organismo absorva outras vitaminas, levando à deficiência de umas e o acúmulo de outras.

O excesso de vitaminas raramente acontece por ingestão de alimentos ricos nestas substâncias, mas sim pelo consumo de suplementos vitamínicos. Por isso ter o acompanhamento de um médico ou nutricionista é essencial.

4- Determinadas substâncias, como a cafeína, prejudicam a absorção das vitaminas pelo nosso organismo.

Verdade – Refrigerantes de cola, café, chá preto e outros ricos em cafeína podem atrapalhar a absorção de algumas vitaminas, como B e D. O mesmo acontece com a ingestão de bebidas alcoólicas, que afetam a absorção do cálcio e reduz a resposta do organismo à vitamina D.

Já o tabaco prejudica o aproveitamento da vitamina E, enquanto o excesso de consumo de fibras dificulta a assimilação das vitaminas A, E e D pelo nosso organismo.

*Fonte: Maria Fernanda Elias – gerente de comunicação da DSM Nutrição Humana para América Latina. Graduada, Mestre e Doutora em Nutrição Humana pela Universidade de São Paulo (USP)

https://m.polishop.vc/novafamilia/

COMUNIDADE DE COLUNISTAS

Para saber mais sobre o colunista da matéria, clique aqui.

Compartilhe esse post

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no print
Compartilhar no email

Veja os últimos posts

Antifrágil

Antifrágil. Vivemos no mundo VUCA com quatro características: volatilidade, incerteza, complexidade e ambiguidade. Você já deve ter observado que tudo mudou e a essa altura

Continuar Lendo »