Ouvir Pausar

Rodrigo Alcântara de Santana

Rodrigo Alcântara de Santana é Psicólogo Clínico. Bacharel em psicologia e pós-graduando em psicologia positiva. Natural do município de Lagarto no estado de Sergipe, cresceu em um povoado chamado Colônia treze, levando sempre sua origem junto. Em 2005 se mudou para a cidade de Aracaju. Lá trabalhou na área de hotelaria por alguns anos e em 2012 foi para São Paulo. Estudou psicologia por um propósito: ajudar pessoas a encontrarem o melhor caminho para a autoestima e viverem a sua melhor versão. E através disso, Rodrigo identificou o seu potencial.

1. O que é um relacionamento tóxico?

O que é um relacionamento tóxico?

Um relacionamento tóxico contamina sua autoestima, sua felicidade e a maneira como você vê o mundo. Uma pessoa tóxica irá flutuar pela vida com um rastro de corações partidos, relacionamentos devastados e pessoas complicadas por trás deles.

Relacionamentos podem começar saudáveis, mas sentimentos ruins, histórico ruim ou necessidades não atendidas de longo prazo podem ficar ruins, poluindo o relacionamento e mudando as pessoas. Isso pode acontecer com facilidade e rapidez e também pode acontecer com as pessoas mais seguras de si.

Posso consertar isso?

Todos os relacionamentos valem a pena lutar, até que não sejam.

Em um relacionamento tóxico, sempre haverá precipitação: mau humor, raiva, infelicidade tornam-se normal. vocês se evitam cada vez mais; trabalho e relacionamentos fora do relacionamento tóxico começam a sofrer.

Se o relacionamento for tóxico, é altamente provável que toda a luta no mundo não mude nada porque uma ou ambas as pessoas seguirão em frente emocionalmente.

Pior ainda, se seu relacionamento for tóxico, você ficará cada vez mais prejudicado se permanecer nele. Lutar para se agarrar a algo que não é bom, e o mesmo que lutar para se agarrar a algo autodestrutivo.

Às vezes, a única coisa que resta a fazer é deixar ir seguir em frente.

Quais são os sinais de que estou em um relacionamento tóxico?

Estar ciente de que o relacionamento é tóxico é vital para se proteger de uma ruptura. Permanecer em um relacionamento tóxico é manter sua mão pairando sobre o botão de autodestruição.

Nem todos os relacionamentos tóxicos são fáceis de abandonar, mas é importante você estar ciente de alguns sinais.

Uma relação tóxica é definida pela consistência, intensidade e dano. Aqui estão alguns dos sinais.

É uma sensação ruim.

O tempo todo. Você adormece triste e acorda da mesma forma. Sair de um relacionamento nunca é fácil, mas permanecer por muito tempo em um relacionamento tóxico fará com que qualquer força, coragem e confiança em você sejam reduzidas a nada. Quando isso acontecer, você estará preso.

Todo o trabalho, amor, compromisso vem de você.

Ninguém consegue manter um relacionamento quando é o único a fazer o trabalho. É solitário e exaustivo. Se você não pode deixar o relacionamento, dê o que você precisa dar, mas não dê mais do que isso. Deixe de lado a fantasia de que você pode tornar as coisas melhores se tentar bastante, trabalhar bastante, dizer o suficiente, fazer o suficiente. Pare. Simplesmente pare. Você é o suficiente. Você sempre foi.

Cuidado com o que você fala!

Ter tiros continuamente disparados contra você com base na sua história é uma forma de controlar, envergonhar e manipular. Relacionamentos saudáveis ​​nutrem seus pontos fortes. Os tóxicos se concentram em suas fraquezas.

Você pode estar sozinha.

No relacionamento, é importante saber que, aconteça o que acontecer, vocês se protegem, pelo menos, publicamente. Em relacionamentos saudáveis, quando o mundo começa a atirar pedras, o casal se reúne e fortalece o muro que o envolve. Os relacionamentos tóxicos costumam ver uma pessoa agindo sozinha quando se trata de humilhações públicas.

Abuso físico ou verbal. Ou ambos.

Não aceite esse tipo de relacionamento, busque ajuda psicológica se possível.

Não existe solução.

Todo relacionamento terá seus problemas. Em um relacionamento tóxico, nada é resolvido porque qualquer conflito termina em uma discussão. Não há confiança de que a outra pessoa terá a capacidade de lidar com o problema de uma forma segura e concertada. Quando isso acontece, as necessidades são enterradas e, em um relacionamento, as necessidades não atendidas sempre alimentam o ressentimento.

Você não tem privacidade! 

Todo mundo merece algum nível de privacidade, em relacionamentos saudáveis podem confiar que isso não será mal utilizado. Se seu parceiro constantemente examina seus recibos, contas de telefone, mensagens de texto, WhatsApp, isso mostra um nível de controle tóxico. É degradante. Você é um adulto e não precisa de supervisão constante.

Cuidado com as mentiras!

Mentir e trapacear irão dissolver a confiança como se ela nunca tivesse existido. Uma vez que a confiança acabou, é difícil recuperá-la. Pode voltar em momentos ou dias, mas é provável que sempre pareça frágil. Um relacionamento sem confiança pode transformar pessoas fortes e saudáveis em algo que elas não são naturalmente - inseguras, ciumentas e desconfiadas. A toxicidade disso está na lenta erosão da confiança. Não é sua culpa que a confiança foi quebrada, mas cabe a você certificar-se de que não será quebrado em seguida.

Grandes decisões são para pessoas importantes. E, claramente, você não é um deles.

Se você está compartilhando sua vida com alguém, é fundamental que você tenha uma palavra a dizer nas decisões que irão afetá-lo. As opiniões e sentimentos do seu parceiro sempre serão importantes, e os seus também. Sua voz é importante. Um parceiro amoroso no contexto de um relacionamento saudável irá valorizar seus pensamentos e opiniões, não fingir que eles não existem ou presumir que os deles são mais importantes.

Acho que posso estar em um relacionamento tóxico. E agora? Se for tóxico, está mudando você e é hora de sair ou construir uma grande barreira. (Veja aqui como.)

Seja claro sobre onde o relacionamento começa. Mantenha distância emocionalmente e pense nisso como algo a ser gerenciado, ao invés de algo a ser derrotado. Procure os padrões e os gatilhos. Então, esteja atento sobre o que está certo e o que não está. Acima de tudo, saiba que você é forte, completo e vital. Não acredite em nenhum empurrãozinho de coração pequeno e mente fechada que o faria acreditar o contrário. Você é incrível.

E finalmente …

Existem muitos motivos pelos quais você pode acabar em um relacionamento tóxico, nenhum dos quais tem nada a ver com força de caráter ou coragem. Às vezes, a toxicidade aumenta e o deixa cego e, quando você percebe, é tarde demais.

A toxicidade em qualquer relacionamento não faz sentido. Na tentativa de fazer sentido, você pode culpar a história, as circunstâncias ou o seu próprio comportamento.

Fortalecendo seu eu!

          ⁃         Não importa de onde vem a toxicidade ou a razão de ela estar lá.

          ⁃         Amor e felicidade nem sempre andam juntos. O mundo funcionaria muito mais suavemente se isso acontecesse, mas simplesmente não acontece assim.

          ⁃         O amor pode ser um mentiroso sujo às vezes.

          ⁃         Você é importante demais para isso. É importante fazer sacrifícios nos relacionamentos, mas sua felicidade, autoestima e respeito próprio devem estar sempre na lista.

          ⁃         Se um relacionamento se baseia no amor, ele nutre, restaura, reabastece e revive.

          ⁃         Tudo que você precisa para ser feliz está em você. Quando você está com alguém que sufoca essas partes preciosas de você, esteja ciente do dano que ele está causando. Você não deve nada a eles, você deve tudo a si mesmo.

          ⁃         Você merece prosperar e se sentir seguro, e você merece ser feliz.

Por Rodrigo Alcântara de Santana 

 

Informações para contato

Whatsapp: (18) 99648-9049

E-mail: psicologorodrigoas@yahoo.com

Site: www.rodrigoalcantara.psc.br

Facebook: @psirodrigoalcantara

Instagram: @psirodrigoalcantara

2. O que é ansiedade?

O que é ansiedade?

A ansiedade é um reação natural que todos nós sentimos em algum momento. Porém, quando é muito intensa e frequente, ela afeta negativamente a vida das pessoas.

A ansiedade excessiva pode se tornar uma doença (CID 10 F41.1), conhecida como transtorno de ansiedade generalizada. Este quadro faz com que a pessoa apresente sintomas de preocupação e medo extremo diante de situações simples da rotina.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), 264 milhões de indivíduos vivem com transtornos de ansiedade no planeta. No Brasil, eles atingem 9,3% da população, o que faz do nosso país o líder no ranking.

O que pode causar a ansiedade? 

 • Genética. A propensão a ter ansiedade pode estar marcada no nosso DNA;
 • Evento traumático;
 • Situações estressantes geradas por expectativa;
 • Doenças físicas;
 • Distúrbios hormonais;
 • Traumas de infância;
 • Abuso de substâncias;
 • Possíveis complicações.

Alguns tipos de ansiedades

 • Transtorno de ansiedade generalizada. Esse é o tipo o mais comum e frequente;
 • Transtorno de ansiedade de separação;
 • Síndrome do pânico;
 • Fobia social;
 • Agorafobia (medo de ficar sozinho em lugares amplos ou públicos);
 • Transtorno de ansiedade induzido pelo uso de substâncias.

Sintomas da crise de ansiedade

 • Palpitação, coração pulsando forte ou acelerado;
 • Sensação de garganta fechada;
 • Suor;
 • Tremores;
 • Falta de ar;
 • Sensação de desmaio;
 • Náusea ou desconforto abdominal;
 • Formigamentos;

Fatores de risco

Algumas pessoas são mais propensas a terem distúrbios de ansiedade. Os principais fatores de risco são:

Eventos traumáticos na infância ou mesmo vida adulta;
Estresse relacionado a doenças físicas sérias;
Acúmulo de estresse;
Tipo de personalidade, já que algumas pessoas tem uma personalidade naturalmente ansiosa, como os perfeccionistas e os controladores;
Abuso de substâncias, como álcool, cigarro e drogas ilícitas.

Como controlar a ansiedade:
 
1. Praticar atividade física;
2. Manter uma alimentação saudável;
3. Separar um tempo do seu dia para fazer coisas que você gosta;
4. Controlar a jornada de trabalho;
5. Reduzir o estresse diário;
6. Evitar situações estressantes ou irritantes;
7. Tentar controlar a respiração;
8. Não se culpe demais;
9. Procurar se distanciar de pensamentos negativos;
10. Buscar focar no presente e não em fato do passado ou na preocupação excessiva com o futuro.

Tratamento:

Buscar ajuda médica!
Como saber que minha ansiedade é um problema?
O ideal é procurar ajuda médica a partir do momento em que o distúrbio de ansiedade produz algum tipo de desprazer ou sofrimento, interferindo negativamente na qualidade de vida.

Clínico geral / psiquiatra / psicólogo 

Fazer psicoterapia (acompanhamento psicológico)

A psicoterapia com um psicólogo pode ajudar o paciente a entender os fatores do dia a dia que desencadeiam sua ansiedade, reduzir seus sintomas e trabalhar os eventos que o levaram a desenvolver este problema.

Tratamento psiquiátrico (acompanhamento médico) uso do fármaco (ansiolíticos e antidepressivos)

Por Rodrigo Alcântara de Santana 

 

Informações para contato

Whatsapp: (18) 99648-9049

E-mail: psicologorodrigoas@yahoo.com

Site: www.rodrigoalcantara.psc.br

Facebook: @psirodrigoalcantara

Instagram: @psirodrigoalcantara