Ouvir Pausar

Sou jovem, mas posso investir na previdência privada?

Sou jovem, mas posso investir na previdência privada?
Banco de imagem

Com a Reforma da Previdência no Brasil e endurecimento de regras para a aposentadoria pública, a previdência fechada e aberta passa a ser cada vez mais procurada e uma forma de investimento para brasileiros que querem garantir um futuro mais tranquilo.

Muitos pensam que aposentadoria é coisa apenas para idosos e que só precisam pensar nisso depois de muitos anos de trabalho. Esse é um grande erro, afinal, quanto mais cedo seu planejamento e formas de poupar, maior será seu patrimônio para essa fase da vida.

Você que é jovem, já pensou em investir na previdência privada, mas tem receio justamente graças à idade? Destrua esse mito agora mesmo. Confira as dicas que reunimos para você!

O que é a previdência privada?

Antes de tudo, vamos esclarecer sobre essa modalidade de investimento. A previdência privada, ou complementar, é uma modalidade com o objetivo de gerar renda e ser um complemento ao benefício do INSS.

Vale dizer que ela não anula a previdência pública. Se você trabalhar com carteira assinada, recolher as obrigações do INSS e cumprir todos os requisitos, poderá se aposentar pelo órgão e ter a aposentadoria privada como outra renda em seu planejamento financeiro.

A previdência privada atua como um investimento a longo prazo e consiste em acumular para depois resgatar. É possível estipular prazos e metas conforme objetivos do investidor e traçar valores e datas.

O investidor aplica o quanto quiser e quanto puder e o valor rende ao longo do período de investimento. A previdência privada, ou complementar, pode ser aberta a partir de qualquer idade, afinal, quanto mais tempo de investimento, melhor.

Os planos de previdência complementar são divididos em duas categorias, os abertos e fechados. É importante conhecer cada um deles para entender o que se encaixa melhor no perfil de investidor.

Planos Fechados

Os planos fechados são mantidos por entidades de instituições privadas de previdência complementar. Portanto, ele só pode ser aderido caso você faça parte de algum grupo previamente selecionado por essas entidades.

Esse tipo de plano é muito comum para servidores de bancos, grandes empresas e instituições que contam com fundo de pensão exclusivo.

Planos Abertos

Os planos abertos são disponibilizados por bancos e instituições particulares e podem ser aderidos por qualquer pessoa. Dentro dessa categoria existem os planos VGBL e o PGBL.

O VGBL, ou Vida Gerador de Benefício Livre, são planos indicados para aqueles que não possuem renda muito alta, que declaram o Imposto de Renda no modelo simplificado e para quem deseja aplicar mais do que 12% da renda anual na previdência.

Nesse investimento, o imposto incide apenas sobre os rendimentos da aplicação e não sobre a quantia total.

Já o PGBL, Plano Gerador de Benefício Livre, é indicado para quem faz declaração completa do Imposto de Renda, com muitas deduções, afinal, ele é dedutível no Imposto. É preciso ter atenção, por outro lado, que ele exige que o limite da contribuição de renda mensal seja de até 12%.

Nesse plano, o imposto incide sobre o valor final a ser resgatado, independentemente do valor e do tempo em que ele será retirado, ou seja, o imposto se dá pelo montante total e não apenas pelos rendimentos.

Quando começar a investir na previdência?

Não existem datas corretas e definidas para se iniciar o investimento e planejamento da aposentadoria, mas não tenha dúvida que quanto antes você começar, melhor!

Como dissemos, a previdência privada pode ser paga de acordo com o que o investidor puder ou desejar. Portanto, mesmo em seus primeiros, ao ter esse compromisso com o investimento, certamente todo mês algum montante será reservado para o futuro e a tendência é que esse valor cresça de acordo com a ascensão da carreira.

Ou seja, quando mais cedo você iniciar a colocar seu dinheiro nesse plano, o patrimônio vai sendo acumulado sem causar problemas no seu orçamento mensal e maior tende a ser o seu retorno no futuro, certo?

Portanto, não se prenda a idade para tais planejamentos. Quanto antes iniciar o seu investimento, melhores as chances de mais tranquilidade e rendimento após tantos anos de trabalho e a tão sonhada aposentadoria!

Para isso, inicie identificando suas rendas e despesas, faça planejamentos financeiros e orçamentos mensais, caso tenha dívidas, foque nelas e elimine antes de qualquer investimento e defina seus objetivos para o futuro. Com organização e metas, mais fácil se tornará a missão de investir!

Você já começou a pensar nesse tipo de investimento? Aproveite que agora você sabe mais sobre ele e inicie seu planejamento!